segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Tudo que você precisa saber sobre o CADRI!




Tudo que você precisa saber sobre o CADRI!

    O estado de São Paulo, por ser a região mais populosa e industrializada do país, investe em normas e fiscalização para garantir o cuidado adequado com os resíduos comerciais. O CADRI é um exemplo disso.
A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, CETESB, através do CADRI, é a responsável para que os resíduos prejudiciais ao meio ambiente tenham a destinação correta para serem reprocessados, armazenados, tratados e descartados corretamente.
Com essa medida, o estado diminui significativamente a degradação do meio ambiente e dá um destino adequado aos resíduos que poderiam ser despejados nos rios ou em terrenos baldios.
Nesse artigo apresentamos o CADRI e detalhes do que você precisa saber a respeito. Continue lendo e confira!

O que é CADRI?

O CADRI – Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental – é um documento que a CETESB emite, aprovando o transporte do lixo aos locais adequados.
Esse certificado é uma exigência voltada apenas aos resíduos que possam criar problemas no aspecto ambiental e aplicado exclusivamente aos estabelecidos no estado de São Paulo.
O CADRI, portanto, atende e cumpre as normas determinadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos e pela Política Estadual de Resíduos Sólidos.
Ele está diretamente ligado aos objetivos do Governo Federal e do estado de São Paulo quando o assunto é meio-ambiente.

Para quais resíduos o CADRI é obrigatório?

A emissão do CADRI é voltada ao destino dos resíduos perigosos e não inertes, portanto, nem todo lixo precisa dessa certificação para ser coletado e transportado.
Isso porque para os diversos tipos de resíduos sólidos existem métodos específicos de tratamento e destinação.
Separados em duas classes, segundo seus efeitos no meio-ambiente, o CADRI regulamenta o destino de cada uma delas:

Resíduos Classe I – perigosos

Os resíduos Classe I são os que apresentam riscos ao ambiente e à saúde pública, tendo como características o fato de serem corrosivos, inflamáveis, patogênicos, reativos e tóxicos.
Alguns exemplos de resíduos são:
  • restos de couro curtidos com cromo,
  • sobras e borras de pigmentos e tintas,
  • embalagens vazias que foram utilizadas para estoque de produtos perigosos,
  • resíduos de produtos químicos,
  • resíduos de óleo para lubrificação,
  • sobras e resíduos de solventes.

Resíduos Classe II A – não inertes

Os resíduos Classe II A são os que têm propriedades biodegradáveis, possuindo combustibilidade e também solubilidade na água.
São exemplos de lixos:
  • lixo sólido domiciliar,
  • fibras de vidros,
  • lixos orgânicos,
  • resíduos de lodo do sistema de tratamento de água,
  • embalagens usadas e vazias,
  • sobras de espuma.

Como conseguir o CADRI?

Todos os geradores de resíduos, que se enquadram nas classes I e II A, devem dirigir-se à agência ambiental da CETESB para formalizar o pedido do CADRI.
Para isso, são necessários os seguintes documentos:
  • solicitação – dados da empresa, nomes do responsável pelo empreendimento e pelo processo de encaminhamento da documentação,
  • carta de anuência – emitido pela empresa receptora dos resíduos, informando ser apta a receber o lixo,
  • licença e autorização específica – quando os resíduos são encaminhados a outros estados da Federação,
  • procuração – comprovação do representante legal da empresa,
  • licença de operação – emitido pelo Poder Público Municipal.
Nos casos de enquadramento como microempresa (ME), empresa de pequeno porte (EPP) e microempreendedor individual (MEI), se faz necessário apresentar outros documentos, conforme segue:
Para empresas recém constituídas, é necessária a declaração do responsável pelo empreendimento sob as penas da Lei Civil e Penal pelas informações prestadas.
As empresas já constituídas precisam apresentar, além da declaração do responsável, os seguintes documentos:
  • fotocópia do contrato social,
  • fotocópia de documento que comprove a opção pelo Simples Nacional (quando for o caso),
  • declaração da Junta Comercial que comprove o enquadramento da empresa como ME ou EPP.
No caso do MEI, deverá ser apresentado ainda fotocópia da inscrição e de situação cadastral, RG, CPF e comprovante de endereço.
É importante lembrar que a empresa que fará a coleta e transporte dos resíduos precisa possuir o certificado CADRI.
Caso precise de uma consultoria sobre o CADRI, entre em contato conosco. Estamos à disposição para ajudar sua empresa (11) 4722-3991

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Empresa de coleta de lixo em Barueri SP



solicite coleta pelo e-mail logistica@gsambientais.com.br ou pelo WhatsApp (11) 968-597-747
Coleta de Resíduos de serviço de saúde - RSS
Global Soluções Ambientais
www.gsambientais.com.br
(11) 4722-3991

Fundada em 2009 com o objetivo de oferecer serviço de coleta e destinação final para resíduos classe I e II as pequenas e grandes Empresas, o Grupo Global superou desafios, adquirindo experiências no desenvolvimento de projetos e inovações ambientais, agregando assim valor aos resíduos recicláveis e diminuindo os custos de destinação de resíduos inservíveis.

Nossos serviços estão atrelados a diretrizes, critérios e procedimentos ambientais em conformidade com as normas e leis:

ANVISA - RDC Nº 306 - gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde (RSS)
Lei nº 9605 e Decreto nº 3179 | Responsabilidades ambientais
LEED Sistema de Certificação e Orientação Ambiental de Edificações
Lei nº 12.305 | Política Nacional de Resíduos Sólidos
Lei nº 6938 Política Nacional do Meio Ambiente
ABNT NBR ISO 14001 especifica os requisitos de um Sistema de Gestão Ambiental
NBR 7500 normatiza a Identificação para o transporte, manuseio, movimentação e armazenamento de resíduos.


A Global Soluções Ambientais está amparada com toda documentação legal inerente a sua atividade:

LTPP - Licença para Transporte Produtos Perigosos
Cadastro na CETESB
Cadastro no IBAMA
Seguro Ambiental (cobertura 250.000,00)
Motoristas com MOPP - Autorização para Movimentação de Produtos Perigos
CADRI (Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental)
PAE - Plano de Atendimento a Emergêncial - SOS COTEC - Suatrans
ART - Anotação de Responsabilidade Técnica
 A Global possui,

Frota Própria Rastreada - Utilitários e Caminhões
Veículo equipado com Grua, EPI, EPC, Painel de identificação de Riscos e ONU de resíduos
Sede Administrativa própria
Galpões para movimentações e armazenagens temporárias
Moinho industrial para descaracterização de produtos
Prensas Industriais para compactação de resíduos sólidos
10 anos de experiência no seguimento de soluções ambientais
Engenheiros,Técnicos e Colaboradores treinados e especializados em soluções para resíduos, que somam forças para oferecer serviços com qualidade e segurança, unicamente para atender as expectativas de nossos Clientes.
Após a conclusão dos serviços, a Global enviará para sua Empresa o CDR - Certificado de Destinação de Resíduos.

Documento emitido pela empresa de tratamento dos resíduos, e que comprova o seu recebimento.

Com o CDR sua Empresa demostra que cumpriu as normas ambientais na destinação dos resíduos gerados.

Demonstrando tanto para as auditorias, quanto para os fiscais ambientais, Seu compromisso com a sustentabilidade e a proteção ao meio ambiente.

Atendemos :

Industrias
Construtoras
Hospitais
Clinicas Médicas, Odontológicas e Estéticas
Laboratórios de Análises Clínicas
Farmácias
Universidades
Veterinários
Tatuadores
Funerárias
Categoria

Coleta de Lixo hospitalar em Campinas SP

Empresa de coleta de lixo hospitalar em São Paulo SP

Coleta de Resíduos Industriais em Mogi das Cruzes

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Coleta e descarte resíduos da indústria farmacêutica

Como descartar resíduos da indústria farmacêutica? ligue 11-4722-3991

descartar resíduos da indústria farmacêutica

A máxima de que o planeta e as pessoas só estarão preservados com uma política de redução de resíduos vale para todos os setores. Setores como o farmacêutico também podem ser poluidores. Por exemplo, quando descartam de maneira descuidada medicamentos rejeitados pelo controle de qualidade. Por isso, a necessidade de se saber como descartar resíduos da indústria farmacêutica.

E por que motivo a indústria farmacêutica também entrou no rol de potenciais poluidoras? Porque é um setor que tem colocado cada vez mais produtos no mercado. No Brasil, entre 2012 e 2016, houve um aumento de 42% nas vendas de remédios em farmácias. O setor não pode ficar alheio aos impactos ambientais do descarte de seus resíduos, sabendo destiná-los corretamente.

Além disso, podem sofrer queda de lucros e perda de reputação se ignorar os perigos do não tratamento dos resíduos. Vamos saber mais a respeito?

Conheça os resíduos farmacêuticos

descartar resíduos da indústria farmacêutica

A movimentação da indústria farmacêutica brasileira está relacionada ao aumento da população e do consumo e o acesso facilitado aos remédios. Há, também, uma preocupação maior das pessoas com a saúde e a entrada dos medicamentos genéricos no mercado brasileiro. Com tanto remédio circulando e podendo ser descartado erroneamente é preciso investir em uma política de gestão de resíduos.

Mas quais são os resíduos gerados pelo setor farmacêutico? A fabricação de remédios envolve diferentes fases. Para que o produto chegue ao consumidor é preciso realizar pesquisas e testar formulações para, então, se chegar à comercialização e distribuição. Em todo esse processo são gerados resíduos provenientes de:

Devolução e recolhimento de medicamentos do mercado;
Descarte de medicamentos rejeitados pelo controle de qualidade;
Perdas inerentes ao processo;
Embalagens que transportam insumos e matérias-primas para a fabricação.
Grande parte dos resíduos gerados pela indústria farmacêutica é classificada como classe I, conforme a NBR 10.004/2004, principalmente pelas substâncias ativas e reagentes utilizados em sua fabricação. Isso significa que são resíduos perigosos, e o tipo de periculosidade pode ser identificado por meio de características como:

Inflamabilidade: resíduos que podem entrar em combustão facilmente ou de maneira espontânea;
Toxicidade: resíduos que agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros.
Corrosividade: resíduos que devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos;
Saiba mais: Como as empresas podem resolver o problema para gerar menos resíduos?

Descarte corretamente os resíduos perigosos
descartar resíduos da indústria farmacêutica

Há diferentes maneiras de se descartar corretamente resíduos perigosos como os da indústria farmacêutica. Mas qualquer solução exige pesquisa criteriosa para se chegar ao melhor tratamento, sempre seguindo os critérios legais.

Entre as principais formas e tratamentos de resíduos perigosos está o cooprocessamento.  Trata-se de uma técnica que destrói o resíduo por meio de incineração. Essa queima é feita, mais frequentemente, em fornos fabricantes de cimento.

O interessante do cooprocessamento é que no processo de queima são eliminados tanto resíduos industriais sólidos, quanto resíduos pastosos, que são utilizados como combustíveis para os fornos de clinquerização.

Isso significa que a indústria cimenteira também sai ganhando. Os resíduos perigosos, após passarem pelo processo de queima, podem ser reutilizados, substituindo parcialmente o combustível que alimenta a chama do forno que transforma calcário e argila em clínquer, matéria-prima do cimento.

Outra vantagem do coprocessamento é que os fornos de cimento são capazes de destruir grandes volumes de resíduos de forma segura. É uma técnica sustentável, pois poupa o uso de combustível e não oferece risco nem a trabalhadores nem às comunidades que vivem em torno das fábricas.

Lógica reversa para resíduos farmacêuticos
De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a indústria farmacêutica deve ser responsável pela gestão dos resíduos do setor, mas é necessária uma coparticipação de outros agentes. O órgão vem estudando formas de envolver também as farmácias e os próprios consumidores para que a destinação dos resíduos seja bem sucedida.

Uma das propostas seria a implantação da lógica reversa para os medicamentos vencidos. O conceito de logística reversa foi estabelecido inicialmente pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei nº 12.305/2010.

Essa Política de Resíduos, por meio da logística reversa, passou a  responsabilizar, de forma compartilhada, os geradores de resíduos e o poder público, assim como os fabricantes, distribuidores e importadores de produtos que produzem resíduos.

No caso dos remédios, a ideia é englobar também o consumidor. Ficaria a cargo do comprador reunir os medicamentos vencidos em sua casa, devolvendo-os às farmácias. Os estabelecimentos comerciais repassariam ao distribuidor e esse às indústrias farmacêuticas. O setor fabricante fecharia o ciclo, ficando responsável pela incineração dos remédios.

Poupe o meio ambiente dos resíduos perigosos
descartar resíduos da indústria farmacêutica

Fica claro que a gestão dos resíduos farmacêuticos é medida que deve ser tratada com responsabilidade pelo setor. Como assinala o departamento de Resíduos Perigosos do Ministério do Meio Ambiente, a necessidade de se descartar corretamente os medicamentos deve-se ao seu potencial perigo ao meio ambiente e à saúde humana. Simplesmente devolver ao meio ambiente os medicamentos fabricados pode provocar contaminação ambiental em solo, na água, na fauna e na flora e atingir também a saúde humana.

Negligenciar a necessidade de uma gestão correta de resíduos farmacêuticos pode reduzir o volume de vendas de medicamentos e destruir a reputação de empresa, visto que o consumidor vem cobrando cada vez mais uma postura sustentável das organizações. Boicotes e difamações podem gerar às empresas tanto consequências tangíveis, como perda de lucros, quanto intangíveis, como a desqualificação da imagem.

Além disso, fabricar medicamentos sem atentar para os resíduos gerados pode resultar, também, em sanções e multas pelo descumprimento das leis ambientais.

Em contrapartida, a indústria farmacêutica ecoeficiente ganha muito em reputação ao eliminar passivo ambiental, fazer a destinação completa e segura dos resíduos perigosos e reduzir o uso de combustíveis-não renováveis.

Tudo que você precisa saber sobre o CADRI!

Tudo que você precisa saber sobre o CADRI! O estado de São Paulo, por ser a região mais populosa e industrializada do país, investe e...