sexta-feira, 31 de maio de 2019

Identificação, acondicionamento,manuseio e transporte de resíduos - NBR 7500



Estar em conformidade com a norma de identificação de materiais eleva o nível de segurança da operação e pode evitar transtornos à empresa em caso de fiscalização
O transporte de materiais, principalmente por rodovias tem sido objeto de muita preocupação de autoridades e empresas nos últimos anos. Especialmente no Brasil, que amarga uma infraestrutura de transportes de baixíssimas qualidade e diversificação, relegando uma fatia muito grande de seu transporte às rodovias.
Problemas no transporte dos materiais por vias terrestres vão desde engarrafamentos, e lentidão nas estradas até acidentes com prejuízos à carga e em casos mais graves, à vida dos envolvidos.
NBR 7500 normatiza a forma como os materiais devem ser identificados e acondicionados para seu manuseio e transporte, o que é fundamental para que os itens sejam transportados com segurança, minimizando os riscos operacionais. Este artigo explicará um pouco mais sobre a norma e como ela se relaciona com o transporte de resíduos.
A NBR 7500 é a publicação da ABNT que normatiza o manuseio e transporte de materiais no Brasil, o nome completo da norma é Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos.
Ela não regula o manuseio e transporte dos materiais por vias aquáticas e aéreas, apenas por vias terrestres, especialmente pelo modal rodoviário, que é o predominante no Brasil.
A principal atribuição da norma está na identificação dos itens transportados e equipamentos utilizados para manuseio e transporte. É comum observar placas de identificação em carretas e vagões, cada uma das placas possui um significado especial e é importante para que os órgãos de fiscalização e operadores logísticos realizem o tratamento adequado do material.
As placas de identificação também são importantíssimas em caso de acidentes, pois permite que as instituições de resgate possam atuar de maneira mais exata na contenção da carga, evitando contaminações ou acidentes subsequentes.
A sinalização dos equipamentos de transporte é realizada através dos rótulos de risco. Há dois tipos de rótulos, o principal e o subsidiário (exigido apenas para materiais especiais destacados pela norma).
A identificação também é eventualmente, realizada por painéis de segurança e em casos especiais, por outros símbolos destacados pela norma NBR 7500. Os itens de sinalização devem ser posicionados verticalmente em relação ao solo no exterior dos compartimentos de carga dos caminhões e carretas de forma que estejam bem visíveis facilmente identificáveis, eles podem ser adesivados, parafusados, pintados ou encaixados em suportes do tipo “porta-placas”.
A fixação deve ser realizada de maneira que os itens de identificação regular do veículo (como placas e luzes), não sejam ocultados.

A NBR 7500 também se aplica aos resíduos?

Por definição sim, a norma NBR 7500 se aplica também aos resíduos, uma vez que estabelece regras para quaisquer tipos de materiais que eventualmente sejam alocados e transportados.
Os resíduos são casos especiais, pois em muitas das vezes trata-se de materiais perigosos à saúde humana ou ao meio ambiente. Por isso, o transporte deve ser realizado dentro dos padrões da NBR 7500 quanto à identificação, e também deve ser emitido o MTR, para que a destinação possa ser comprovada.
Os resíduos também devem ser destinados conforme as resoluções da CONAMA 313 e em caso de materiais regulados por legislação especial, também precisam estar cadastrados no CADRI.
O transporte de resíduos por rodovias é alvo constante de fiscalização em função da potencialidade de acidentes com estes materiais, por isso, estar em regularidade em relação à documentação necessária e com a identificação obrigatória pode evitar diversos problemas para o destinador, tratador ou transportador do resíduo em questão.

Aonde encontrar o código ONU do resíduo?

O código ONU é um número de identificação que informa a classe de risco e a origem do produto que está sendo transportado. O código deve ser exposto nas partes externas do veículo conforme explicado no item anterior deste artigo.
Em alguns casos, o código ONU também deve ser afixado nos recipientes dos materiais, para que eles sejam identificados nos locais de manuseio e preparação para transporte.
O código é composto por duas linhas de números, sendo a primeira com dois dígitos e a segunda com quatro dígitos. A primeira linha refere-se à classe e a segunda ao produto.
NBR 7500 é de suma importância para a correta identificação dos materiais, elevando os níveis de segurança no seu transporte e manuseio. Na gestão de resíduos, estar em conformidade à NBR 7500 é fundamental para uma operação bem estruturada e livre de possíveis passivos jurídicos.
A não identificação, ou identificação incorreta dos materiais também pode ser um agravante num eventual processo legal em caso de acidentes envolvendo o manuseio e transporte dos resíduos.

Saiba mais, ligue para : 11 4722-3991 ou pelo Whats APP - 11 97087-9818 
Envie seu e-mail para logistica@gsambientais.com.br
www.gsambientais.com.br

Procedimentos gerais para o transporte de resíduos sólidos


A norma que estabelece os procedimentos gerais para o transporte de resíduos sólidos no Brasil é a NBR 13.221. Editada pela ABNT e estabelecida como procedimento oficial pela Comissão Nacional de Meio Ambiente, ela é a norma que estabelece todas as regras para o transporte de resíduos sólidos não perigosos e dá o direcionamento para as normas que tratam de resíduos específicos.
A NBR 13.221, busca regulamentar o transporte de resíduos de forma que ele atenda aos requisitos de proteção ao meio ambiente, à saúde pública e aos padrões desejáveis de segurança. Uma das primeiras determinações da norma é a de que os materiais devem ser transportados com o uso de equipamentos adequados, em bom estado de conservação e obedecendo às regulamentações pertinentes à sua classificação.
As cargas devem estar adequadamente acondicionadas para o transporte, de forma que não haja risco de vazamentos, quedas ou contaminação do ambiente e das vias. Devem estar também corretamente separadas, pois a norma proíbe o transporte de algumas cargas mistas, como por exemplo produtos de consumo animal ou humano, medicamentos, materiais tóxicos ou de interesse ambiental, estes devem ser acondicionados separadamente.
Outro ponto citado pela norma é a proibição do transporte de materiais que estejam fora do escopo do licenciamento ambiental da empresa, assim, qualquer serviço deste tipo será considerado transporte irregular.

Saiba mais, ligue para : 11 4722-3991 ou pelo Whats APP - 11 97087-9818 
Envie seu e-mail para logistica@gsambientais.com.br
www.gsambientais.com.br

COMO FUNCIONA COLETA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS



coleta e transporte de resíduos sólidos industriais é um serviço realizado por empresas especializadas do setor. Em cidades com grandes parques industrial, é natural que existam gigantescas quantidades de resíduos sólidos e líquidos de todos os tipos. 
As indústrias metalúrgica, siderúrgica e mecânica são exemplos de segmentos que produzem grandes montantes de resíduos como peças, chapas, restos de materiais cortados, entre outros elementos. A legislação ambiental prevê a destinação correta de cada tipo de resíduo, por isso é fundamental contar com um serviço profissional para a função.

COMO FUNCIONA COLETA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

O serviço de coleta e transporte de resíduos sólidos industriais é realizado por empresas certificadas do setor com especialidade na função. Para isso, essas empresas contam com equipamentos especiais, veículos adequados e profissionais capacitados para conduzir todo o processo.
 Ao contratar essas empresas, é possível traçar um plano de coleta, armazenamento e destinação dos resíduos para não interferir na produção da indústria e garantir o descarte apropriado. Todo o fluxo é controlado pela empresa, que conta com técnicos qualificados para realizar o acompanhamento do procedimento.

VANTAGENS DE CONTRATAR COLETA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

Há inúmeras vantagens em contratar coleta e transporte de resíduos sólidos industriais de empresas licenciadas do setor. O cumprimento das normas ambientais é um dos principais benefícios, que regularizam de forma prática e eficiente a situação da empresa. O serviço é realizado com toda a segurança necessária, o que evita a contaminação de rios, solo e meio ambiente em geral e também protege a saúde humana. Além disso, a empresa ganha em produtividade e se torna mais sustentável, com um excelente custo-benefício na contratação do serviço.

GLOBAL SOLUÇÕES AMBIENTAIS: COLETA E TRANSPORTE DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS DE CONFIANÇA

A Global Soluções Ambientais é uma excelente empresa especializada em resíduos industriais que oferece a melhor coleta e transporte de resíduos sólidos industriais do mercado. A empresa é focada em serviços de coleta, transporte, armazenagem, separação, destruição, descaracterização e destinação de resíduos sólidos e líquidos. 
A empresa possui uma frota própria com veículos adaptados para todos os tipos de resíduos, como caminhões e carretas com capacidade para grandes quantidades de entulho. Seus diferenciais são o atendimento personalizado, excelente custo-benefício e pontualidade.

Para saber mais sobre

Ligue para 
11 4722-3991 |Whats APP - 11 97087-9818 

LETPP - Licença Especial para Transporte de produtos perigosos

LETPP - Licença Especial para Transporte de produtos perigosos na cidade de São Paulo
A Prefeitura de São Paulo, decidiu proibir a circulação de veículos que transportam produtos perigosos das 5h às 10h e das 16h às 21h, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no minianel viário e no Centro Expandido, a mesma área onde vigora o rodízio municipal de veículos.
Consideram-se produtos perigosos os materiais, substâncias ou artefatos que possam acarretar riscos à saúde humana e animal, bem como prejuízos materiais e danos ao meio ambiente, conforme definido na Resolução nº420, de 12 de fevereiro de 2004, da ANTT, e nas demais normas específicas que alterem ou atualizem a legislação pertinente ao transporte de produtos perigosos, conforme art.1º do Decreto nº 50.446/2009.
Sendo assim, o transporte de produtos perigosos nas vias públicas do Município de São Paulo somente poderá ser realizado por transportador devidamente inscrito no Cadastro dos Transportadores de Produtos Perigosos - CTPP e com veículos detentores da Licença Especial de Transporte de Produtos Perigosos - LETPP, expedida pelo DSV, mediante a aprovação do Plano de Atendimento a Emergências (PAE) na Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA).

Ja estão sendo aplicadas MULTAS e a Fiscalização está mais intensiva.
Dúvidas frequentes
  1. Quem necessita do cadastro e da licença?
Todos os veículos que transportam produtos perigosos elencados na Resolução nº420 da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, necessitam de estar inscrito no Cadastro dos Transportadores de Produtos Perigosos - CTPP e portar a Licença Especial de Trânsito de Produtos Perigosos - LETPP, expedida pelo DSV, para transitar no município de São Paulo, conforme Decreto nº 50.446 de 20 de fevereiro de 2009.
Contrate sempre uma empresa que tenha essa licença para evitar transtornos para Sua empresa.
A Global Soluções Ambientais está amparada com toda documentação legal inerente a sua atividade:
  • LTPP - Licença para Transporte Produtos Perigosos
  • Cadastro na CETESB
  • Cadastro no IBAMA
  • Seguro Ambiental (cobertura 250.000,00)
  • Motoristas com MOPP - Autorização para Movimentação de Produtos Perigos
  • CADRI (Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental)
  • PAE - Plano de Atendimento a Emergêncial - SOS COTEC - Suatrans
  • ART - Anotação de Responsabilidade Ténica 
  • Veículo especial com EPIEPC, Painel de Riscos e ONU

PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS ( PAE )



A Sua carga de resíduos derramou em uma via pública, e agora? as responsabilidade são compartilhadas conforme a LEI PNRS.
Fique tranquilo! A Global possui contrato com a S.O.S. COTEC que fará toda a limpeza.
Qual o objetivo do PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS ( PAE ) ?
 O PAE possui como objetivo geral fornecer um conjunto de diretrizes, dados e informações com base em legislações, normas e boas práticas que forneçam as condições necessárias para a adoção de procedimentos técnicos e administrativos, de modo a proporcionar uma resposta rápida e eficiente em situações de emergências e de crise. 
Para que seu objetivo geral seja realizável foram elencados os seguintes objetivos específicos:
  • Identificar e caracterizar a operação de armazenagem, manuseio e/ou transporte de produtos perigosos da empresa a que este PAE se destina;
  • Identificar e caracterizar a empresa responsável pela resposta no atendimento a emergência com produtos perigosos;
 Qual é o PLANO DE ATENDIMENTO EMERGENCIAL   ?               
  • Identificar as principais hipóteses acidentais de acordo com a operação da empresa a que este PAE se destina;
  • Definir a estratégia de acionamento do PAE, de acordo com a organização institucional das empresas de atendimento a emergência e da empresa a que este PAE se destina;
  • Identificar as instituições governamentais de apoio em situações de emergência;
  • Identificar os recursos para atendimento à emergência e os recursos de apoio disponíveis na área de operação da empresa a que este PAE se destina;
  • Caracterizar as ações e os procedimentos de combate, em todas as suas fases, em situações de emergência, de acordo com os cenários acidentais previamente identificados;
  • Caracterizar as ações e os procedimentos na fase pós-emergência;
  • Preservar a integridade física das equipes de intervenção, da comunidade, do meio ambiente e do patrimônio e minimizar os impactos negativos decorrentes dos acidentes. 
LEGISLAÇÃO APLICADA Lei Federal nº 6.938/81 –
  • Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências.
  • Lei Federal nº 9.605/98 - Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências.
  • Lei Federal nº 9.966/2000 - Dispõe sobre a prevenção, o controle e a fiscalização da poluição causada por lançamento de óleo e outras substâncias nocivas ou perigosas em águas sob jurisdição nacional e dá outras providências.
  • Lei Federal nº 13.103/2015 – Dispõe sobre o exercício da profissão de motorista
  • Decreto 96.044/88 – Aprova a Regulamentação do Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos. ? Lei 10.233/01.
  • Cria a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT e à mesma delega a atualização da RTRPP.
  • Resolução 3665/11 ANTT – Atualiza o Regulamento para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos.
  • Resolução 5232/16 ANTT - Aprova as Instruções Complementares ao Regulamento Terrestre do Transporte de Produtos Perigosos, e dá outras providências. ?
  • NBR 7.500 – Identificação para o Transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de Produtos
  • NBR 7.501 – Transporte Terrestre de Produtos Perigosos – Terminologia
  • NBR 7.503 – Ficha de Emergência e Envelope para o Transporte terrestre de Produtos Perigosos - Características, Dimensões e Preenchimento
  • NBR 9735 – Conjunto de Equipamentos para Emergências;

Movimentação de resíduos perigosos - MOPP



O MOPP é obrigatório para todos os condutores de veículos de transporte de produtos perigosos e tem o objetivo de preparar os condutores para transportar resíduos perigosos com segurança e agir em situações de emergência. Transportar resíduos perigosos sem capacitação é crime ambiental. A pena prevista no artigo 56 da Lei 9605/98 é de reclusão de um a quatro anos e multa.
 Todos os nosso Motorista são treinados e capacitados dos módulos abaixo.

  Módulo I - Legislação de trânsito 
 
-- Determinações do Código de Trânsito Brasileiro – CTB quanto a: 
-- Categoria de habilitação e relação com veículos conduzidos;
 
-- Documentação exigida para condutor e veículo;
 
-- Sinalização viária;
 
-- Infrações, crimes de trânsito e penalidades;
 
-- Regras gerais de estacionamento, parada conduta e circulação.
 
-- Legislação específica e normas sobre transporte de produtos perigosos
 
-- Cargas de produtos perigosos
 
-- Conceitos, considerações e exemplos.
 
-- Acondicionamento: verificação da integridade do acondicionamento (se há vazamentos ou contaminação externa); verificação dos instrumentos de tanques _ (manômetros, e outros);
 
-- Proibição do transporte de animais, produtos para uso humano ou animal (alimentos, medicamentos e embalagens afins), juntamente com produtos perigosos;
 
-- Utilização do veículo que transporta produtos perigosos para outros fins;
 
-- Descontaminação quando permitido.
 
-- Responsabilidade do condutor durante o transporte
 
-- Fatores de interrupção da viagem;
 
-- Participação do condutor no carregamento e descarregamento do veículo;
 
-- Trajes e equipamentos de proteção individual.
 
-- Documentação e simbologia;
 
-- Documentos fiscais e de trânsito;
 
-- Documentos e símbolos relativos aos produtos transportados:
 
-- Certificados de capacitação;
 
-- Ficha de emergência;
 
-- Envelope para o transporte;
 
-- Marcação e rótulos nas embalagens;
 
-- Rótulos de risco principal e subsidiário;
 
-- Painel de segurança;
 
-- Sinalização em veículos.
 
-- Registrador instantâneo e inalterável de velocidade e tempo:
 
-- Definição;
 
-- Funcionamento;
 
-- Importância e obrigatoriedade do seu uso.
 
-- Das Infrações e penalidades (CTB e Legislação Específica)
 
-- Tipificações, multas e medidas administrativas.
 
  Módulo II – Direção Defensiva 
 
-- Acidente evitável ou não evitável; 
-- Como ultrapassar e ser ultrapassado;
 
-- O acidente de difícil identificação da causa;
 
-- Como evitar acidentes com outros veículos;
 
-- Como evitar acidentes com pedestres e outros integrantes do trânsito (motociclista, ciclista, carroceiro, skatista);
 
-- A importância de ver e ser visto;
 
-- A importância do comportamento seguro na condução de veículos especializados;
 
-- Comportamento seguro e comportamento de risco – diferença que pode poupar vidas;
 
-- Comportamento pós-acidente.
 
-- Estado físico e mental do condutor, conseqüências da ingestão e consumo de bebida alcoólica e substâncias psicoativas.
 
  Módulo III – Noções de Primeiros Socorros, Respeito ao meio Ambiente e Prevenção de Incêndio 
 
 
• Primeiros socorros – Primeiras providências quanto a acidente de trânsito: 
-- Sinalização do local de acidente;
 
-- Acionamento de recursos: bombeiros, polícia, ambulância, concessionária da via e outros;
 
-- Verificação das condições gerais de vítima de acidente de trânsito;
 
-- Cuidados com a vítima de acidente, ou contaminação (o que não fazer) em conformidade com a periculosidade da carga, e/ou produto transportado.
  
 Meio ambiente
 
-- O veículo como agente poluidor do meio ambiente;
 
-- Regulamentação do CONAMA sobre poluição ambiental causada por veículos;
 
-- Emissão de gases;
 
-- Emissão de partículas (fumaça);
 
-- Emissão de ruídos;
 
-- Manutenção preventiva do veículo;
 
-- O indivíduo, o grupo e a sociedade;
 
-- Relacionamento interpessoal;
 
-- O indivíduo como cidadão;
 
-- A responsabilidade civil e criminal do condutor e o CTB;
 
-- Conceitos de poluição: causas e conseqüências.
 
• PREVENÇÃO DE INCÊNDIO
 
-- Conceito de fogo;
 
-- Triângulo de fogo;
 
-- Fontes de ignição;
 
-- Classificação de incêndios;
 
-- Tipos de aparelhos extintores;
 
-- Agentes extintores;
 
-- Escolha, manuseio e aplicação dos agentes extintores.
 
  Módulo IV – Movimentação de Resíduos Perigosos 
 
-- Produtos perigosos 
-- Classificação dos produtos perigosos;
 
-- Simbologia;
 
-- Reações químicas (conceituações);
 
-- Efeito de cada classe sobre o meio ambiente.
 
-- Explosivos:
 
-- Conceituação;
 
-- Divisão da classe;
 
-- Regulamentação específica do Ministério da Defesa;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Gases:
 
-- Inflamáveis, não-inflamáveis, tóxicos e não-tóxicos:
 
-- Comprimidos;
 
-- Liquefeitos;
 
-- Mistura de gases;
 
-- Refrigerados.
 
-- Em solução;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Líquidos inflamáveis e produtos transportados a temperaturas elevadas
 
-- Ponto de fulgor;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Sólidos inflamáveis; substâncias sujeitas a combustão espontânea; substâncias que, em contato com a água, emitem gases inflamáveis
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência;
 
-- Produtos que necessitam de controle de temperatura.
 
-- Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência;
 
-- Produtos que necessitam de controle de temperatura.
 
-- Substâncias tóxicas e substâncias infectantes;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Substâncias radioativas;
 
-- Legislação específica pertinente;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Corrosivos
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Substâncias perigosas diversas:
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Riscos múltiplos
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.
 
-- Resíduos
 
-- Legislação específica pertinente;
 
-- Comportamento preventivo do condutor;
 
-- Procedimentos em casos de emergência.

Saiba mais, ligue para : 11 4722-3991 ou pelo Whats APP - 11 97087-9818 
Envie seu e-mail para logistica@gsambientais.com.br
www.gsambientais.com.br

quarta-feira, 29 de maio de 2019



Possuimos :
  • Frota Própria - Utilitários e Caminhões
  • Sede Própria
  • Galpão com 400 m2
  • Equipe de Engenheiros,Técnicos e Colaboradores especializados em resíduos que somam forças para oferecer serviços com qualidade e segurança, unicamente para atender as expectativas de nossos Clientes.
Após a conclusão dos serviços a Global enviará para sua Empresa o
CDR, ou certificado de destinação final de resíduos.
É um documento emitido pela empresa receptora dos resíduos, e que comprova o seu recebimento. Com ele a empresa geradora demostra que cumpriu a metodologia adequada no descarte de resíduos sólidos.
Com o CDR em mãos, a empresa é capaz de demonstrar tanto para as auditorias quanto para os clientes da empresa, o seu compromisso com a sustentabilidade e a proteção ao meio ambiente.

COLETA DE RESÍDUOS INFECTANTES ? LIGUE PARA A GLOBAL

A GLOBAL SOLUÇÕES AMBIENTAIS OFERECE COLETA DE RESÍDUOS DE SAÚDE – orcamento@gsambientais.com.br – 11 4722-3991 A coleta de resíduos de s...